Como se pega Aids? Saiba quais são as situações de risco de transmissão do vírus HIV!

Como se pega Aids?
Como se pega Aids?

 

O vírus pode ser transmitido de várias formas. Conheça-as!


 

O vírus HIV, causador da Aids, pertence a família dos retrovírus tendo sido descoberto na década de 80 como o responsável pelos casos repetidos de pacientes com imunodepressão na população GLBT de Nova Iorque e São Francisco, nos Estados Unidos. Naquela época várias teorias acerca da causa da doença foram sugeridas. Apenas depois de anos de pesquisa descobriu-se que a causa era infecciosa e transmitida principalmente através de secreções sexuais e sangue.

Atualmente temos informações bastante confiáveis sobre as vias de transmissão do HIV, de maneira que podemos inclusive determinar qual o risco do contágio em uma determinada situação, como em uma relação sexual desprotegida ou em um acidente com material biológico.

Este vírus está presente em grande parte dos líquidos e secreções corporais, como secreções genitais femininas, esperma, sangue, líquido pleural (dentro da pleura, membrana que protege os pulmões), pericárdico (membrana que protege o coração), ascítico (líquido produzido dentro do abdômen) e cefalorraquidiano (que envolve o cérebro); leite materno e também secreções respiratórias, os quais chamaremos de líquido infectantes. Não se encontra o vírus HIV nas lágrimas, suor ou saliva, desde que não sejam contaminados por sangue. Sabemos também que o contato de secreções contaminantes com a pele íntegra não oferece perigo. O risco ocorre apenas se a pele estiver lesada,como em uma escoriação ou corte, ou se o contato ocorrer com uma membrana mucosa, como a da boca, olhos, glande, vagina e mucosa retal, além do contato com as membranas e cavidades internas do ser humano ou de seus vasos sanguíneos. Deste modo, podemos determinar os métodos de contágio pelo vírus.

Como se pega: contato de qualquer líquido infectante com membranas mucosas ou pele não íntegra – relações sexuais de qualquer espécie, mesmo que não ocorra ejaculação; sexo oral em homem ou mulher; uso e compartilhamento de objetos durante as relações sexuais; contato destes líquidos com os olhos e boca; compartilhamento de escovas de dentes, barbeadores e material de depilação; uso de instrumentos em manicures ou consultórios odontológicos e estéticos reutilizados ou que não tenham sido adequamente esterilizados; contato com instrumentos hospitalares como acessos venosos, agulhas e seringas contaminados; transfusão sanguínea de pessoas contaminadas (hoje já muito raro); acidentes com material biológico em profissionais da saúde pelo contato destas secreções por punção acidental em uma cirurgia, por exemplo; transmissão mãe-filho durante a gravidez ou trabalho de parto; amamentação

Como não pega: morar na mesma casa; estudar na mesma sala; trabalhar no mesmo ambiente; pela respiração próxima; beijo no rosto; beijo na boca, se a mucosa oral (parte interna das bochechas, gengivas e língua) não tiverem lesões ou se os dentes estiverem em bom estado; aperto de mão; abraço; dormir na mesma cama; sentar no mesmo banco de ônibus; compartilhar objetos de uso diário que não entram em contato com as secreções infectantes, como canetas ou talheres; compartilhar roupas, desde que lavadas; lavar roupas de pessoas portadoras do vírus junto com as roupas do restante da família; nas demais atividades diárias.

Os maiores risco de contágio são:

Exposição

Risco

Relação sexual anal receptiva (“passiva”)

1,38%

Relação sexual anal insertiva (“ativa”)

1,1%

Relação sexual vaginal receptiva (mulher)

0,8%

Relação sexual vaginal insertiva (homem)

0,4%

Relação sexual oral

0,1-0,4%

Transfusão sanguínea

90%

Compartilhamento de seringa contaminada

6,7%

Perfuração acidental por agulha

2,3%

Sangue em contato com mucosa (se espirrou nos olhos, por exemplo)

1%

 

Importante ressaltar que alguns fatores podem aumentar estes riscos, como uma carga viral (quantidade de vírus HIV no sangue) elevada, contato com sangue de menstruação ou por trauma durante as relações sexuais e presença de doenças sexualmente transmissíveis associadas como corrimentos ou uretrites ou ainda diminuí-los, como uso de terapia antirretroviral (o “coquetel”) e uso de preservativos. Existe um novo dispositivo em teste, um anel impregnado por antirretrovirais, que pode ser colocado no fundo da vagina e reduz em quase 80% o risco de transmissão em mulheres que não tem o vírus e que tem relações com homens soropositivos.

Portanto, podemos concluir que o convívio habitual com pessoas que têm HIV e Aids não traz nenhum risco e que medidas simples, como o cuidado com o manejo de materiais e secreções podem ser tomadas para garantir que não ocorra transmissão em hospitais, clínicas odontológicas e salões de manicure. No caso das relações sexuais, o uso do preservativo é essencial para a proteção pois impede o contato com as secreções infectantes.

Dr. Luiz Jorge Moreira Neto - Infectologista
Compartilhe
Share

2 thoughts on “Como se pega Aids? Saiba quais são as situações de risco de transmissão do vírus HIV!

  1. SE uma pessoa com ferida de idoso tocar passar varias vezes com as feridas abertas avermelhadas nos olhos de uma outra pessoa ela pode pegar aids ou hepatite?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.