Dicas para evitar a gripe A H1N1

Gripe A H1N1 (1)

O vírus da gripe tem uma capacidade incrivelmente grande de disseminação através do contato direto com as mãos, objetos e secreções respiratórias. Para evitar essa doença é necessário tomar algumas medidas:

1) Use a etiqueta da tosse: sempre que for tossir proteja a boca com a manga da camisa, evitando tossir nas mãos. Se possível, vá para um local sem pessoas, ao ar livre;
2) Evite ter contato com as secreções respiratórias, utilizando lenços descartáveis e sempre fazendo a higienização correta das mãos;
3) Lave frequentemente as mãos: as mãos devem ser lavadas com álcool gel a 70% ou água e sabonete por pelo menos 30 segundos. Esta lavagem deve ser realizada esfregando as palmas entre si e com o dorso das duas mãos, continuando entre os dedos e articulações, seguindo friccionando a ponta dos dedos nas palmas e, por fim, lavagem dos punhos e antebraço;

Fonte: CCIH/SCIH HC - UFPR
Fonte: CCIH/SCIH HC – UFPR

4) Evite o contato: Se possível, não fique próximo a pessoas que estejam com sintomas das doenças e, se você mesmo tiver sintomas, evite sair de casa sem uma boa razão;
5) Uso de máscara cirúrgica: é uma boa opção para aqueles momentos em que você, estando doente, tem de ficar no mesmo ambiente que outras pessoas, ainda que seja em casa. Ela consegue reter as secreções respiratórias e diminui muito o contágio. Se você deseja se prevenir, o uso de máscaras em locais de aglomeração pode ajudar;
6) Abra as janelas e ventile o ambiente: caso esteja em locais em que pessoas se aglomeram, como sala de aula, recepções e comércio, procure uma entrada de ar;
7) Use medicamentos como o Tamiflu, nos casos indicados e com prescrição médica: este medicamento consegue diminuir bastante a quantidade de vírus presente das secreções, diminuindo a chance de transmissão. Em adultos, após os cinco dias de tratamento, já não há mais risco de transmissão. Em crianças e em pessoas com baixa imunidade o vírus pode ainda permanecer nessas secreções e ser transmitido. Nestes casos é melhor esperar em torno de 10 dias para retorno ao convívio social habitual.

Já lavou suas mãos hoje?

Uma boa semana!

Dr. Luiz Jorge Moreira Neto - Infectologista
Compartilhe
Share

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.